Buscar
  • Davi Lazzari

Dicas para ser um bom síndico profissional

Em um mercado de trabalho extremamente competitivo como o de gestão condominial, existem pequenos detalhes que podem fazer um síndico profissional se diferenciar e conquistar mais oportunidades de trabalho. Dessa forma, pensando nas inúmeras características que formam um bom síndico e em suas maiores dificuldades, resolvemos trazer algumas dicas que tornam a gestão de um síndico bem-sucedida:


1. Conheça os moradores


Ter uma boa relação com os moradores é extremamente importante e ajuda na gestão condominial de diversas formas, principalmente evitando atritos com os moradores, que são extremamente comuns. Além disso, tratando-se de um meio em que indicações contam muito, conhecer os moradores é uma forma de gerar conexões de trabalho, que em situações de necessidade vão lembrar e recorrer, ou até mesmo indicar o trabalho de pessoas que elas têm afinidade, o que com o tempo se torna uma bola de neve de oportunidades.

Esse tópico, portanto, está muito atrelado ao carisma, em que pequenas mudanças na forma de se expressar podem fazer muita diferença, como sorrir ao cumprimentar os moradores, ser um bom ouvinte e se comunicar com confiança.


2. Organize as suas atividades


É importante lembrar-se da enorme responsabilidade de um síndico. Se tratando de um cargo que mantém contato direto com muitas pessoas, também existe uma cobrança muito forte na resolução de problemas. No entanto, quando não há uma organização propícia para a resolução desses problemas, eles podem muito facilmente se tornar um peso enorme na rotina do síndico.

Nesse sentido, ter uma rotina organizada, com as tarefas que é preciso cumprir, conforme a demanda do condomínio, e com o tempo disponível para isso, é essencial para direcionar o que precisa ser feito com mais urgência. Ainda, registrar as suas demandas em uma agenda possibilita o planejamento da realização de suas atividades para que elas sejam entregues dentro do prazo, impedindo que alguma atividade importante seja deixada de lado. Com o tempo, uma rotina organizada evitará a sobrecarga das atividades.


3. Conheça as suas responsabilidades


Conhecer as suas responsabilidades pode evitar com que exista a necessidade de arcar com prejuízos. Um exemplo que temos no Rio Grande do Sul é a necessidade de providenciar o Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI), que, de acordo com a RT CBMRS nº 05 pt. 1, é responsabilidade do síndico, tendo multa prevista como penalidade.

Ainda, em um cargo que recebe muita cobrança, saber o que é a sua responsabilidade pode evitar que você realize algo que não é sua atribuição.


4. Preocupe-se com a manutenção


De acordo com a Lei de Sitter, a manutenção preventiva tende a ser 5 vezes menos onerosa do que a manutenção corretiva. Muitos municípios, inclusive, já têm como obrigatória a realização de inspeções prediais para o apontamento da necessidade de manutenção, como em Porto Alegre, onde é obrigatória a realização de Laudo Técnico de Inspeção Predial (LTIP), sendo, inclusive, passível de multa.

Portanto, partindo do ponto de que a manutenção é extremamente importante e evita a necessidade de reparos e reformas maiores no futuro, até mesmo a gestão financeira é facilitada. Além do mais, o desenvolvimento de um plano de manutenção, a partir de um laudo técnico indicando todas as manifestações patológicas da edificação e os seus respectivos graus de risco, é uma excelente forma de manter a transparência com os condôminos e mostrar o que será feito durante a sua gestão como síndico. Precisando de ajuda?

A Esfera Jr. realiza serviços como Laudos Técnicos e Planos de Prevenção Contra Incêndios, além de arquitetura de interiores, e estamos dispostos a retirar todas tuas dúvidas e fornecer um orçamento gratuito.


6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo